terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Sherlock Holmes - O Cão dos Baskerville







             A trama descortina-se de pronto. Sherlock e Watson exercem a arte da dedução pela análise da bengala esquecida por seu visitante da noite anterior, que logo bate à porta e revela-lhes uma morte cercada de mistérios, mundanos e místicos.
Os investigadores de pronto se propõem a estudar o caso, tachado pelo próprio Holmes como um dos seus mais intrigantes até então, partindo em uma aventura cheia de encontros e desencontros, em meio a um local sombrio e propício ao anormal.
A história se desenrola facilmente, sem rodeios, e a cada página surgem novas pistas, algumas suprimindo as anteriores e outras as restaurando, o que proporciona um divertido jogo de adivinhação.
O Cão dos Baskerville é de tirar o fôlego; na verdade, li a obra em um só, o que me faz poupar comentários para que a minha surpresa seja também a do leitor. Entretanto, reservo-me o direito de referenciar que o livro fecha um grande quebra-cabeça, fazendo o que poucos fazem como Sir Arthur Conan Doyle: ligar pontos.
Não poderia terminar esse comentário sem dizer que a escolha precisa de palavras, tornando simples o complexo, e a completude das personagens são ingredientes sempre presentes nos escritos de Doyle, o que me faz gostar bastante de seu estilo.
Na minha opinião, o livro fica com 8,5 de nota. Por isso, recomendo a sua leitura.


William Bielenki

2 comentários:

  1. Então neh alem de amar o Herlock Homes esse é o meu livro favorito dentre os outros kkk (Amo cachorros mesmo eles sendo os vilões) kkkk

    ResponderExcluir
  2. E alem do mas eu nunca esperaria que o final fosse daquele jeito kkkk nem nos meus sonhos kkk

    ResponderExcluir