quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Segundo episódio da "Hora Aleatória"

Oi pessoal, como estão? Escrevi um pequeno texto para nos lembrar de algo importante. Espero que gostem e que me perdoem pelo tom lamentoso - é que alguns acontecimentos por aqui levaram a isso.


       A vida é frágil.
       O ser humano é tão fraco que deveria vir ao mundo envolto em uma caixa marcada com um copo quebrado.
       Não importa o tamanho, o peso, a densidade muscular, o primor dos reflexos, a solidez da saúde; a coisinha mais besta e insignificante pode nos machucar bastante, senão ser fatal.
       Aquele degrau que a gente não viu, o gole a mais, a puxada levemente mal angulada, o remedinho esquecido, a acelerada para evitar o atraso, a olhadinha no celular e a não olhadinha para os dois lados, a placa negligenciada, a carteira não entregue, o achar que somos mais do que somos.
       E este último é o pior. Porque é quando esquecemos que somos frágeis, qual papel na chuva.
       É quando achamos que podemos evitar aquele assalto ou erguer um peso excessivo. É quando bebemos e pensamos que dirigimos melhor assim. É quando temos convicção de que aquela gripezinha é inofensiva e mais um banho de chuva “não vai dar nada”. É quando nos cortamos em metal vermelho e só damos uma lavadinha. É quando saímos daqui e migramos para Krypton, na pior ideia de todos os tempos.
       Não deixe de viver. E viva intensamente. Mas se cuide. Só isso.
       Grande abraço a todos.

Um comentário:

  1. Lindo texto, William! É bem assim que acontece. Abraço, colega!

    ResponderExcluir